ERA UMA VEZ NO OESTE

once-upon-a-time-in-the-west-movie-poster

Não contente em revolucionar o western com sua Trilogia dos Dólares, que injetou ao mesmo vida nova com a criação de sua vertente spaghetti, o italiano Sergio Leone decidiu criar a obra definitiva do gênero norte-americano por excelência. Mais do que isto, propunha criar assim uma nova trilogia que explorasse três momentos marcantes da história da violência da América.

O primeiro desta trilogia (os demais são QUANDO EXPLODE A VINGANÇA e ERA UMA VEZ NA AMÉRICA) é ERA UMA VEZ NO OESTE, título pomposo que surgiu antes mesmo de existir uma história para o filme. Felizmente, Leone deu conta de sua ambição desmedida. As quase três horas de duração de seu filme são um compêndio da mitologia do western, ou de boa parte dela. Os índios ficaram de fora, mas não a prostituta valente, o vingador silencioso, os pistoleiros traiçoeiros, o bandido charmoso, o barão milionário e inescrupuloso, a estrada de ferro ampliando as fronteiras e o inevitável duelo final.

ERA UMA VEZ NO OESTE conta a história de uma prostituta (Claudia Cardinale) que larga a vida fácil para se casar com um fazendeiro visionário, mas que o descobre assassinado pelo facínora vivido por Henry Fonda, sob as ordens do dono da estrada de ferro que passaria pela propriedade do sujeito. Atrás deste está um homem sem nome (Charles Bronson), que é quase que um fantasma em busca de vingança de todos os elementos que Fonda matara no passado. Some-se ainda o famoso bandido foragido Cheyenne (Jason Robards, ótimo).

De sua antológica abertura sem diálogos, que mostra três pistoleiros aguardando pela chegada de Bronson na estação de trem, até o espetacular e climático duelo, Leone e seus co-roteiristas Bernardo Bertolucci e Dario Argento homenageiam vários dos maiores clássicos do western, como MATAR OU MORRER, JOHNNY GUITAR, O ÚLTIMO PÔR-DO-SOL e as obras de John Ford, grande parte delas filmadas no mesmo Monument Valley que aqui serve de moldura para Leone (com demais cenas filmadas na Espanha e nos estúdios da Cinecittà em Roma). A belíssima trilha musical de Ennio Morricone foi composta antes das filmagens, e com isso Leone pôde conceber grande parte das sequências com os temas de Morricone em mente, o que resulta numa verdadeira sinfonia (ou, como diz Bertolucci nos extras, numa ópera) cinematográfica, que influenciou gerações de cineastas, de De Palma a Tarantino.

Um espetáculo que fica ainda melhor no excelente Blu-ray da Paramount, que traz ambas as versões – a de cinema e a chamada “restaurada”, que conta com um minuto a mais. Os extras são os mesmos produzidos em 2003 para a edição em DVD. Estão todos em definição padrão, com exceção do trailer, que está em HD. O lado ruim é que, ao contrário do DVD, a edição em Blu-ray não traz legendas nos comentários em áudio, que são imperdíveis. Os cineastas (e fãs declarados da obra) John Carpenter, John Milius e Alex Cox se juntam a Bertolucci, Claudia Cardinale e aos historiadores de cinema Sir Christopher Frayling e Dr. Sheldon Hall para tecer uma verdadeira elegia ao filme, ao mesmo tempo em que o analisam e discutem sua produção.

Felizmente, os demais extras estão devidamente legendados. Começando pelo documentário retrospectivo dividido em três partes – Uma Ópera de Violência, O Preço do Pecado e Algo a ver com a Morte, que juntas somam mais de uma hora de ótimas recordações, anedotas e análises, que inclui declarações de arquivo de Henry Fonda e Sergio Leone. A ausência de Dario Argento é mais do que compensada pelas intervenções de Bertolucci resgatando a origem do projeto e seu primeiro encontro com Leone.

Outros dois pequenos documentários têm teor mais de curiosidade. Ferrovia: Revolucionando O Oeste fala da importância da estrada de ferro para o desenvolvimento dos EUA, e Locações Antes e Agora é o que se anuncia: uma justaposição de cenas do filme com imagens atuais das locações.

ERA UMA VEZ NO OESTE
Once Upon a Time in the West, Itália/EUA, 1968
IDIOMA: Inglês DTS-HD MA 5.1, Inglês 1.0, Francês 1.0, Espanhol 1.0
LEGENDAS: Português, Espanhol, Inglês, Francês
FORMATO DE TELA: Widescreen 2.35:1 1080p
Western – 2h46 – Cor – Paramount
Direção: Sergio Leone
Com Claudia Cardinale, Henry Fonda, Jason Robards, Charles Bronson, Gabriele Ferzetti, Woody Strode, Jack Elam, Lionel Stander, Paolo Stoppa, Frank Wolff, Keenan Wynn

 

 

This entry was posted in Blu-ray - Resenhas. Bookmark the permalink.

2 Responses to ERA UMA VEZ NO OESTE

  1. Carlos Quintão says:

    Uau! Com 2 anos e já aplicado no Leone? Tá mais adiantado que o meu, da mesma idade, que ainda tá começando a explorar os Disney vintage.

  2. Tiago e Dante Lobo says:

    Programa preferido meu e do pequeno cinéfilo Dante, meu filhote de pouco menos de 2 aninhos. Assistimos juntos pelo menos uma vez por mês, com direito a pipoca ilimitada e um bang-bang de brincadeira depois…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>